Search site
Twitter
Quick Links

The Ontario Technology Corridor offers aggressive tax incentives and Canada's largest concentration of ICT talent

Ontario is home to Canada's largest Information and Communications Technology (ICT) cluster. The province generates 37% of the national GDP and is home to almost 50% of all employees in high tech, financial services and other knowledge-intensive industries. Ontario generates 48% of the revenues from Canada's ICT industry, and is North America’s gateway to innovation, offering a world-leading, highly-educated talent base with excellent growth opportunities, a low-risk business environment, and generous targeted tax credits. If your company is expanding or relocating into the North American market, then consider Ontario.

The 18,000 ICT companies in Ontario employ over 270,000 people, with 2,600 people working specifically in Ontario's computer and video gaming companies. As the Canadian province with the largest number of video game companies, and the highest level of growth in that sector, Ontario leads the charge for Canada's claim as one of the top three countries in the worldwide video game industry.

The Ontario Technology Corridor includes the Greater Toronto Area, Ottawa Region, Waterloo Region, and City of London and works in partnership with the province of Ontario's Ministry of Economic Development, Trade and Employment as well as the federal government's Department of Foreign Affairs, Trade and Development Canada.

Tuesday
Oct222013

Ontario Technology Corridor fills Brazil’s hunger for innovation and talent with wealth of commercialization-ready startups

Project-1 and Giatec Scientific are two concrete examples of how Brazilian companies can benefit from the ICT innovation engine of Ontario – Canada’s most populous province

RIO DE JANEIRO, BRAZIL – Futurecom 2013 – When Ricardo Sodre, the Founding Partner and CEO of Brazil’s Project-1 accelerator, read Startup Nation, it was a bolt of entrepreneurial lightning. The best-selling book on Israel’s unprecedented startup miracle pointed the way to how he could make a difference in his innovation-starved country of Brazil. And while Israel beckoned, Canada’s advantages also attracted the interest of the CEO who currently has five startups under development in Sao Paulo.

Sodre’s investigation into the world’s innovation hotspots revealed that satisfying Brazil’s hunger for startups, sophisticated engineering and programming talent and leading edge technology could be satisfied by the Ontario Technology Corridor – a ring of collaborative regions in Canada’s most populous province. More than 18,000 Information and Communications Technology (ICT) companies employ over 270,000 people, making the Ontario Technology Corridor Canada’s largest technology cluster. Its renewable talent engine is regularly recharged by Ontario's 20 universities and 24 colleges – many offering extensive internship and co-op education programs highly responsive to technology industry needs.

Sodre has developed deep connections with senior executives from many of Brazil’s largest companies through his former career as an advertising executive and Chief Growth Officer with several of the country’s largest ad agencies. With an experienced team of managers and mentors, he is now busy building commercialization bridges between Ontario and Brazil to supply his contacts with innovations that help them satisfy demand in the country’s dynamic economy. Sodre’s Project-1 invested in its first Ontario success story, Readyportal from Debut Logic Inc., which is a “click-and-play” social collaboration and enterprise content management system platform. Developed in Toronto, Brazilian enterprises and others around the world use Readyportal to run their enterprise content and collaboration at a fraction of the cost of existing solutions, with 60% less implementation time.

“Many large Brazilian companies are in need of ICT technologies that simply are not available in the country,” said Sodre. “The Ontario Technology Corridor’s wealth of startup companies and technology talent can help fill that need. My research also showed me that while Ontario has talent on a par with Silicon Valley, there is 70% less funding available for Ontario startups. Enter the fast-growth, high demand Brazilian market to fill that commercialization gap.” Sodre’s plans for Project-1 include raising $10 million to commercialize 20 to 25 Ontario companies through soft landings in Brazil over the next three years.

Project-1 isn’t the only bridge to commercialization success for the bustling companies in the Ontario Technology Corridor. In Ottawa, another Ontario company called Giatec Scientific Inc. helps ensure that Brazilian transportation bridges and other concrete infrastructure is up to par in a country that is experiencing a construction boom. Giatec received Brazil’s Rio Info 2013 IT Innovation award, given to a company that offers the most novel software-based applications and technologies.

Developed by two PhDs in civil engineering from the University of Ottawa and Carleton University, Giatec’s sophisticated algorithms and software analyze the test data and help with the assessment of concrete quality and evaluation of the service life of infrastructure. Brazil is a very significant market for Giatec due to the booming construction in various sectors and particularly those related to the developments for the FIFA world cup and the Olympic games. Brazil is also the largest cement producer in South America (also sixth in the world) with an annual production of 63 million tons.

“The Ontario Technology Corridor value proposition regularly attracts companies like Cisco, Google, Huawei, IBM, Microsoft and Ubisoft to expand here, and we’re also pleased to know that Project-1 and Giatec Scientific are similarly able to help large Brazilian companies develop their economic potential with Ontario-based startup innovation and talent,” said Gerald Pisarzowski, Vice-President Business Development with the Greater Toronto Marketing Alliance (GTMA), an Ontario Technology Corridor partner.

There are also financial reasons for the Ontario Technology Corridor’s success. In 2013 Canada’s combined federal-provincial statutory general corporate income tax rate averages 26% – 13% less than the average U.S. rate. Companies located in Canada enjoy the lowest costs in the G7 for R&D intensive sectors, with up to a 10.7% advantage over the U.S. In addition, in Ontario, a $100 R&D expenditure can be reduced to an after-tax cost of $57, or reduced further to $39 for qualifying small business.

About the Ontario Technology Corridor

Employing over 270,000 people among 18,000 companies within the Information and Communication Technology (ICT) sector, the Province of Ontario is committed to supporting this industry as it expands its global reach and connecting businesses to the talent they need to grow and excel. This is done through competitive incentive programs as well as a low corporate tax environment. The Ontario Technology Corridor encompasses the Greater Toronto Area, Ottawa Region, Waterloo Region and City of London. The Corridor also welcomes the partnership of the Ontario Ministry of Economic Development, Trade and Employment as well as the Department of Foreign Affairs, Trade and Development Canada. The Ontario Technology Corridor is supported by the Greater Toronto Marketing Alliance (GTMA), Invest Ottawa, Canada’s Technology Triangle, and London Economic Development Corporation.

Tuesday
Oct222013

O Corredor Tecnológico de Ontário atende o desejo de inovação e talento do Brasil, com uma abundância de empresas novas prontas para a comercialização

A Project-1 e a Giatec Scientific são dois exemplos concretos de como as empresas brasileiras podem beneficiar do motor de inovação das TIC do Ontário – a província mais populosa do Canadá

Quando Ricardo Sodre, sócio fundador e diretor executivo da aceleradora brasileira Project-1, leu o Startup Nation, foi como um relâmpago empresarial. O livro de sucesso sobre o inédito milagre da empresa nova de Israel indicou-lhe o caminho para o modo como ele poderia fazer uma diferença no Brasil, seu país em busca de inovação. E, enquanto Israel acenava, as vantagens do Canadá também atraíam o interesse do diretor executivo, que atualmente tem cinco novas empresas em desenvolvimento em São Paulo.

A investigação de Sodre sobre os hotspots mundiais da inovação revelaram que a satisfação dos desejos do Brasil por empresas novas, engenharia sofisticada, talentos no setor da programação e tecnologia de vanguarda podia ser atendida pelo Corredor Tecnológico de Ontário – um grupo de regiões colaborativas na província mais populosa do Canadá. Mais de 18.000 firmas de tecnologias das informações e das comunicações (TIC) empregam mais de 270.000 pessoas, fazendo com que o Corredor Tecnológico de Ontário seja o maior grupo tecnológico do Canadá. Seu motor de talentos renováveis é recarregado regularmente pelas 20 universidades e 24 colégios do Ontário – muitos dos quais oferecem estágio extenso e programas de ensino cooperativo altamente recetivos às necessidades tecnológicas e industriais.

Sodre aprofundou suas relações com altos dirigentes de muitas das maiores empresas brasileiras, através da sua carreira anterior como diretor de publicidade e diretor responsável pelo crescimento de várias e importantes empresas de publicidade do país. Com uma equipe experiente de gerentes e mentores, agora ele está muito ocupado criando pontes de comercialização entre o Ontário e o Brasil, a fim de fornecer seus contatos com inovações que contribuem para satisfazer a procura na dinâmica economia do país. A Project-1 de Sodre investiu na sua primeira história de sucesso em Ontário – o Readyportal, da Debut Logic Inc. – o qual é uma colaboração social do tipo “clique e jogue” e uma plataforma do sistema de gerência do conteúdo empresarial. Desenvolvido em Toronto, as empresas brasileiras e outras de todo o mundo usam o Readyportal para administrarem o conteúdo e a colaboração da sua empresa, por uma fração do custo das soluções atuais e que exigem menos de 60% de tempo para implementação.

“Muitas grandes empresas brasileiras estão precisando de TIC que, simplesmente, não estão disponíveis no país”, disse Sodre. “A abundância de empresas novas do Corredor Tecnológico de Ontário e os talentos tecnológicos podem ajudar a atender essa necessidade. A pesquisa que eu realizei também demonstrou que, embora o Ontário tenha talentos em pé de igualdade com Silicon Valley, há menos 70% de financiamento disponível para as novas empresas do Ontário. Para atender a lacuna da comercialização, entre no mercado brasileiro de rápido crescimento e de grande procura”. Os planos de Sodre para a Project-1 englobam a angariação de $10 milhões de dólares para a comercialização de 20 a 25 empresas do Ontário através de aterrissagens suaves no Brasil ao longo dos próximos três anos.

A Project-1 não é a única ponte para o sucesso da comercialização das movimentadas empresas do Corredor Tecnológico de Ontário. Outra empresa de Ottawa, Ontário, chamada Giatec Scientific Inc. tem contribuído para que as pontes de transporte, bem como outras infraestruturas brasileiras em concreto, estejam em pé de igualdade em um país que está enfrentando um crescimento súbito no setor da construção. A Giatec recebeu o prêmio brasileiro de inovação em TI, do Rio Info 2013, o qual é atribuído à empresa que dispõe das mais recentes tecnologias e aplicações baseadas em software.

Desenvolvido por dois doutorados em engenharia civil pelas universidades de Ottawa e de Carleton, o software e os algoritmos sofisticados da Giatec analisam os dados dos ensaios e contribuem para a avaliação da qualidade do concreto e da duração do serviço da infraestrutura. O Brasil é um mercado muito importante para a Giatec devido ao crescimento rápido da construção em diversos setores e, especialmente, os que estão relacionados às evoluções para a copa mundial da FIFA e para os jogos olímpicos. O Brasil também é o maior produtor de cimento da América do Sul (também classificado em sexto no mundo), com uma produção anual de 63 milhões de toneladas.

“A proposição de valor do Corredor Tecnológico de Ontário atrai regularmente empresas, como a Cisco, a Google, a Huawei, a IBM, a Microsoft e a Ubisoft, a expandirem aqui e é com agrado que tomamos conhecimento que a Project-1 e a Giatec Scientific estão habilitadas da mesma maneira a ajudar as grandes empresas brasileiras a desenvolver seu potencial econômico com o talento e a inovação das novas empresas sediadas em Ontário”, disse Gerald Pisarzowski, vice-presidente, do Setor de Desenvolvimento de Negócios, da Aliança de Marketing da Grande Zona de Toronto, um dos parceiros do Corredor Tecnológico de Ontário.

Também existem razões para o sucesso do Corredor Tecnológico de Ontário. Em 2013, a média geral da taxa de imposto combinado federal-provincial de renda para as empresas prevista por lei é de 26% – menos 13% do que a taxa média nos EUA. As empresas situadas no Canadá usufruem dos custos mais baixos entre os países do G7 em relação aos setores intensivos de P&D, com uma vantagem máxima de 10,7% em relação aos EUA. Além disso, no Ontário um dispêndio de $100 em P&D pode ser reduzido para um custo pós-imposto de $57. As pequenas empresas qualificadas poderão usufruir de uma maior redução para $39.

Sobre o Corredor Tecnológico de Ontário

Empregando mais de 270.000 pessoas em 18.000 empresas do setor da tecnologia das informações e das comunicações (TIC), a província do Ontário está empenhada em apoiar essa indústria enquanto ela expande sua presença mundial e liga as empresas aos talentos que precisam para crescer e distinguir-se. Isso é alcançado por meio de competitivos programas de incentivos e também de baixos impostos sobre as empresas. O Corredor Tecnológico de Ontário engloba a grande zona de Toronto, a região de Ottawa, a região de Waterloo e a cidade de Londres. O Corredor também  acolhe a parceria do Ministério do Desenvolvimento Econômico, Comércio e Emprego do Ontário, bem como o Ministério das Relações Exteriores, Comércio e Desenvolvimento do Canadá. O Corredor Tecnológico de Ontário é apoiado pela Aliança de Marketing da Grande Zona de Toronto, o programa Invest Ottawa, o Triângulo Tecnológico do Canadá e a Sociedade de Desenvolvimento Econômico de Londres.